Judiciário

Sexta-Feira, 14 de Junho de 2019, 11h:42 | Atualizado: 14/06/2019, 18h:12

Governo diz que tem até 2020 para se enquadrar na LRF e reitera pedido no STF

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) reiterou o pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para que a secretaria do Tesouro Nacional (STN) não impeça a concessão de garantia a um empréstimo do governo de US$ 250 milhões junto ao Banco Mundial. A Advocacia-Geral da União (AGU) havia se posicionado contrária ao pedido do Governo do Estado na semana passada.

Mídia News

procurador-geral do Estado, Francisco de Assis da Silva Lopes

Procurador-geral do Estado Francisco de Assis da Silva Lopes assina pedido no Supremo

O Estado estaria desobedecendo a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) em relação ao percentual gasto com despesas de pessoal. O objetivo do governo é renegociar a dívida com o Bank of America, vendendo-a para o Banco Mundial. A próxima parcela da dívida com o banco americano vence em setembro, no valor de US$ 38,8 de dólares, ou R$ 150 milhões na cotação desta sexta (14).

O pedido é assinado pelo procurador-geral do Estado, Francisco de Assis da Silva Lopes, e pelo subprocurador-geral dos tribunais superiores, Lucas Schwinden Dallamico e está sob relatoria da ministra Rosa Weber.

A PGE argumenta que o Estado está dentro do prazo previsto para enquadramento dos limites de despesa com pessoal estabelecido pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) em novembro do ano passado. O TCE voltou utilizar o mesmo entendimento da STN para incluir gastos com imposto de renda e os duodécimos da Defensoria Pública no cálculo da LRF, mas modulou os efeitos, exigindo o cumprimento do percentual apenas a partir de 2020.

“Ora, se o Tribunal de Contas do Estado certificou a adequação dos limites de gasto com pessoal até o último quadrimestre de 2018, afigura-se indubitável que o Estado de Mato Grosso possui a justa expectativa de enquadrar a sua situação jurídica à luz do entendimento de sua Corte de Contas”, diz o documento.

O governo ainda citou o decreto de calamidade financeira aprovado pelo Assembleia em janeiro, com validade de 180 dias. A AGU havia questionado este ponto sob o argumento de que a LRF prevê apenas calamidade pública, como desastres naturais. Para a PGE, a LRF não traz expressamente a decretação estado de calamidade apenas por desastres.

“A interpretação levada a efeito pela União, no sentido de que calamidade decorreria somente de situação anormal provocada por desastre, tornaria letra morta o caput do artigo 65, na medida em que tal calamidade possibilita a decretação de Estado de Defesa (artigo 136 da Constituição Federal), que encontra previsão no seu parágrafo único”, afirma a PGE.

O governo ainda argumenta que não se trata de uma nova dívida, mas apenas a renegociação de uma anterior. O empréstimo foi feito pelo ex-governador Silval Barbosa, em 2012, com o Bank of America para renegociar a dívida com a União e permitir empréstimos com bancos nacionais para financiar obras da Copa do Mundo de 2014 e outras de infraestrutura no Estado. No contrato, porém, não há gatilho que limite o valor da dívida em relação à cotação do dólar.

Com a aproximação da parcela de setembro, o governo pediu urgência no julgamento do pedido no STF. A PGE lembrou que o procedimento de assinatura do contrato com o Banco Mundial ainda deve ser precedido por outras sete etapas, entre elas o parecer da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional a respeito dos limites e condições da operação, encaminhamento à Presidência da República, ao Senado Federal, entre outras.

“Os argumentos tecidos pela União, nesse contexto, não condizem com a estrutura federal de Estado adotada pela Constituição de 1988, notadamente com o federalismo cooperativo por ela eleito. Representam, ademais, completo menoscabo à autonomia do Estado de Mato Grosso e constituem mais um triste capítulo da sanha centralizadora que assola nosso país”, avalia o governo na ação.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

Primeira-dama, hospital e dia histórico

virginia mendes curtinha   A primeira-dama do Estado Virgínia Mendes classificou esta terça (23) de dia histórico por marcar a inauguração do hospital estadual Santa Casa, em Cuiabá. Averso a entrevistas para jornalistas, ela recorreu às redes sociais para, em postagem, fazer elogios ao ministro da...

Empossado no comando do Incra-MT

ivanildo incra curtinha   Apesar de já estar atuando desde o início do mês, Ivanildo Teixeira Thomaz (foto) tomou posse na segunda (22) como novo superintendente do Incra/MT, numa solenidade em Brasília que marcou a posse de outros dois, sendo eles Cassius Rodrigo de Almeida na regional do Rio de Janeiro, e Antonio...

Setor produtivo pressiona deputados

Algumas entidades, especialmente do setor produtivo, estão exercendo muita pressão sobre deputados, inclusive econômica, na tentativa de convencê-los a votar pela rejeição do projeto que estabelece reinstituição dos incentivos fiscais e que já foi aprovado, semana passada, em primeira votação, inclusive pelo placar de 15 a 7.  Há empresários do agronegócio que foram pessoalmente à AL...

Governador chateado com grevistas

jayme_curtinha   Embora pareça, muitas vezes, ignorar o movimento grevista, agindo como o árbitro de futebol, que finge não ouvir os gritos da torcida, Mauro Mendes não está nada feliz com o tom das críticas de alguns servidores. Jayme (foto), líder do Democratas, mesmo partido de Mauro, pediu hoje...

Ministro lamenta ausência de prefeito

mandetta_curtinha   Ministro da Sáude Luís Henrique Mandetta fez questão de ressaltar a ausência do prefeito da Capital Emanuel Pinheiro na solenidade de reabertura da Santa Casa hoje. Mandetta disse que Emanuel foi muitas vezes a Brasília “pedir por esse hospital”, que foi fechado após a...

Dinheiro para Fipe veio da Assembleia

allan kardec curtinha   O secretário estadual Allan Kardec (foto), da Cultura, Esporte e Lazer, confirma que, de fato, o Estado repassou R$ 1,5 milhão para o tradicional Festival Internacional de Pesca Esportiva, realizado este mês em Cáceres. Enfatiza que esse dinheiro havia retornado para o Poder Executivo em forma de...

ENQUETE

Profissionais da Educação estão em greve há mais de um mês. O que você acha disso?

estão corretos. Devem continuar

discordo. Deveriam voltar às aulas

pra mim, não faz diferença

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.