RAIO-X DA EDUCAÇÃO

Sexta-Feira, 14 de Março de 2014, 07h:03 | Atualizado: 14/03/2014, 08h:31

Programas de MT não são suficientes e professores se capacitam sozinhos


Reportagem Especial

.

henrique-sintep

Presidente do Sintep Henrique Lopes cobra que Estado promova capacitações

Para atuar como professor da rede pública de ensino infantil e médio é estabelecido por lei que o profissional tenha licenciatura plena. “Mas infelizmente, por causa da carência de professores habilitados, na educação de Mato Grosso cabe de tudo. Na ausência, vale qualquer profissão”, afirma Henrique Lopes do Nascimento, presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de MT (Sintep).

Ele exemplifica que um médico pode ser professor, mas um professor não pode ser um médico. Pondera que o Estado se vê obrigado a contratar de tudo, porque não pode desperdiçar mão de obra. “Essa é a realidade nua e crua”.

A Seduc, por sua vez, pontua que há programas de capacitação. Há dez diretrizes estabelecidas para o setor. A primeira delas é fortalecer e ampliar os Centros de Formação e Atualização dos Profissionais de Educação Básica de Mato Grosso (Cefapros). Conforne relatório apresentado pela pasta, em 2013, foram capacitados cerca de 12.201 profissionais, divididos no sistema voltado à educação indígena, quilombola, básica, prisional e ambiental (ver quadro).

.

henrique-sintep

 Governo garante que tem feito a sua parte e destaca formação de professores

A secretaria pondera ainda que deseja reconhecer a formação prévia dos professores e criar alternativas inovadoras na relação entre conhecimento das universidades e conhecimento das redes públicas. Nesse sentido, destaca que faz capacitação de forma permanente com ajuda do Cefapros, focando em todas as áreas, de ciências à convivência democrática e valores éticos.

Apesar disso, Henrique Lopes diz que 80% dos professores que conhece se capacitaram por conta própria porque não podem ficar dependendo do governo.

O presidente do Sintep comenta que, na verdade, os programas de capacitação existentes são os do governo federal em parceria com a Seduc, sendo o maior deles o Programa Nacional de Formação de Professores (Parfor). Em regime de colaboração com instituições de ensino superior, nele os profissionais conseguem até mesmo fazer uma segunda graduação. Há opção de estudo comum, com vestibular e diariamente vivenciar a faculdade, ou de estudo nos períodos de férias escolares. 

Henrique Lopes acredita que isso é muito bom, mas que a discussão deve ir além: Se os profissionais que já estão na rede precisam de uma segunda graduação para cobrir áreas nas quais não há professores, isso significa que a profissão não é atrativa para os jovens, que se interessam cada vez menos pelo ramo. O sindicalista enfatiza que não há valorização, que os ambientes públicos estão depredados e que não há condições adequadas e nem acompanhamento. “Todos os professores têm jornada dupla para conseguirem pagar as contas, o que acarreta na queda da qualidade do ensino devido a cansaço e a problemas de saúde”, explica.

Força sindical

.

henrique-sintep

No ano passado, professores fizeram greve por 67 dias para pressionar governo

Em 2013 aconteceu a maior greve da história dos professores da rede pública. Os profissionais ficaram 67 dias sem trabalhar, numa das manifestações de maior adesão já vistas. A categoria aceitou a proposta do governo, que foi reformulada algumas vezes em outubro, um dia depois do Ministério Público intermediar reunião entre a Seduc e Sintep.

As reivindicações eram que o poder de compra da categoria fosse dobrado em sete anos, o pagamento da hora-atividade dos professores contratados de forma temporária, melhorias nas escolas e repasse de 35% do orçamento do Estado para a Educação. O Estado propôs aumento de 100% do salário em 10 anos, com início em maio deste ano e pagamento da hora-atividade em três anos, que o sindicato recusou três vezes. Depois te tentar parar a greve ameaçando cortar pontos e com outras medidas judiciais, o governo cedeu e prometeu que o aumento deve começar a ser pago em março. A hora-atividade, no entanto, vai ser paga em três vezes, mas com percentuais diferentes dos que foram apresentados anteriormente.

Galeria de Fotos

Credito: Davi Valle
Credito: .
Credito: André Ribeiro
Credito: Volney Albano
Credito:
Credito: .
Credito: Rodinei Crescêncio
Credito: Rodinei Crescêncio

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Misal é reeleito para o 10º mandato

misael galv�o 400 curtinha   Após dois anos fora do comando do Shopping Popular, período em que respondeu pela presidência da Câmara da Capital, o ex-vereador Misael Galvão (foto) voltou à direção do empreendimento, que abriga 500 lojas. E, sob forte...

Oscarlino, Pros e "nocaute" em Gisela

oscarlino 400   Na queda-de-braço dentro do Pros por espaço político, o ex-sindicalista Oscarlino Alves (foto) nocauteou a ex-superintendente do Procon-MT, Gisela Simona. Ele foi um dos filiados que não aceitaram apoio a Abílio na disputa de segundo turno para prefeito de Cuiabá, se aliou ao projeto de...

Promotor recebe medalha do Exército

Mauro Zaque curtinha   O promotor de Justiça Mauro Zaque (foto) foi condecorado com a medalha do Exército Brasileiro na manhã desta segunda (19), no dia da instituição. A solenidade é considerada a segunda maior do Exército Brasileiro, foi reservada por conta da pandemia e contou com a...

Sema reabre os parques em Cuiabá

mauren lazzaretti sema 400   Fechados desde 1º de abril, em obediência às regras de decreto municipal, que suspendiam as atividades coletivas, os parques estaduais urbanos de Cuiabá reabrem nesta segunda (19) para utilização pelo público. Será possível acessar as tradicionais trilhas...

Pilha em Jayme pra disputar o Governo

jayme campos 400   Mesmo sabendo que Jayme Campos (foto) não entra em disputa onde percebe dificuldades para vencê-la e militando no mesmo partido de Mauro Mendes, o DEM, algumas lideranças políticas têm instigado o senador a se lançar ao governo estadual. Para tentar convencer Jayme, lançam...

Scheila assume APDM e cita projetos

scheila pedroso 400   Esposa do prefeito sinopense Roberto Dorner, Scheila Pedroso (foto), primeira-dama e secretária municipal de Assistência Social, passa a tocar, pelos próximos dois anos, a Associação para o Desenvolvimento Social dos Municípios de MT (APDM/MT). Ela promete juntar força com os...