Esporte e Lazer

Sexta-Feira, 05 de Julho de 2019, 08h:31 | Atualizado: 05/07/2019, 16h:09

Casal larga tudo para viajar o mundo e troca passeios por serviços - entenda

Arquivo pessoal

Os dois est�o juntos h� mais de dois anos e aventura tem fortalecido la�os

Os dois estão juntos há mais de 2 anos e aventura tem fortalecido os laços. A viagem começou no início deste ano e eles ficarão no mínimo um ano fora

Juntos há dois anos e oito meses, um casal partiu de Cuiabá rumo a um de seus sonhos, percorrerem o mundo por pelo menos um ano. Cada um levando apenas uma mochila de cinquenta litros nas costas, muita disposição e vontade de aprender com outras culturas, pousaram em uma de suas viagens para responder a reportagem do .

Renata Jardini, 25, conta que tudo começou quando Yago Travagini, 23, seu companheiro de viagem, um dia ligou e disse que havia visto uma promoção de passagem aérea para África do Sul, Joanesburgo. Perguntou a ela se gostaria de ir com ele e, sem pensar muito, comprou as passagens. “Conheço pouco do Brasil, mas ele já viajou pelo Brasil e outros países. Estávamos planejando apenas uma viagem de 12 dias pela África do Sul que ocorreria em março desse ano”, descreve como parte inicial dos planos que mudaram. 

Arquivo pessoal

Renata posa com elefantes e outros animais na �frica

Renata com elefante e outros animais na África do Sul, sua 1ª viagem internacional 

Jardini conta que, no mesmo ano que compraram as passagens, o namorado reformulou sua proposta e perguntou se da África do Sul ela não gostaria de se alongar para a Europa, por onde se manteriam por mais tempo, ao completarem um ano de viagem.

Ela é natural de Cuiabá e ele de Pontes de Lacerda, mas se conheceram e residem na Capital. Na época, Renata estava concluindo o curso de agronomia e ainda não havia conseguido um emprego. Yago deixou o emprego de analista. Mas foi logo após ela pegar o diploma que a maratona pelo mundo começou. “Ele sempre teve o sonho de fazer um intercâmbio, buscando aperfeiçoar o inglês e conhecer novos lugares no mundo. Após uma semana, já estava decidido e começou os preparativos para essa jornada”, descreve a jovem.

Trabalhos e finanças

Ambos não tinham dinheiro para viajar um ano inteiro pagando hotel, alimentação e transporte seriam caros. O casal estimou cerca de 30 mil para seis meses só na Irlanda. “Depois de fuçar na internet, descobrimos o Workaway, fizemos um perfil de casal e pagamos uma taxa para nos cadastrarmos nele”, conta.

Workaway, assim como o worldpackers ou wwwof, é um aplicativo de viagem e intercâmbio internacional. Nele se busca contato com famílias, hotéis, hostel, fazendas e outros que queiram receber viajantes que chamam de voluntários. Os usuários costumam buscar o destino de viagem, como país, cidade e região, acha o perfil que agrada e aceitam trabalhos em troca de estadia e alimentação. Entre os trabalhos estão atividades como cuidar de crianças, ajudar nas tarefas domésticas ou ajudar na rotina do hostel. 

Na primeira semana trabalhamos na limpeza dos quartos e após isso ficamos na recepção ajudando os hóspedes

Renata Jardini

O primeiro workaway foi um hostel, lugar que consideraram interessante, mas como mochileiros de primeira viagem, tiveram imprevistos. Entre eles, em uma rede de hotel, que ficaram em quartos separados mesmo especificando que eram um casal.

Trabalhavam cinco horas por dia e folgavam duas vezes na semana. “Além da acomodação recebemos um voucher de 1200 rands para comprar comida em um supermercado da cidade. Na primeira semana, trabalhamos na limpeza dos quartos e após isso ficamos na recepção ajudando os hóspedes, nessa parte de ajudar os hospedes conhecemos muitos brasileiros”, lembra Renata. 

Nem tudo são flores, não é sempre que a sorte é tanta. Apesar do aplicativo ter recomendações, Relata alega que as vezes é necessário ter que dialogar com os anfitriões, por exemplo, quando ficam em uma casa familiar. Para sobrar tempo para os passeios, é necessário conversar as atividades diárias que ambos irão realizar, sendo assim, podem evitar desconfortos. O casal também dá dicas de viagens pelo instagram, além de contar detalhes da rotina.

Dificuldades e reviravoltas

O "mochilão" causa transtornos. Renata, principalmente, teve muita dificuldade em escolher roupas e dá dicas às pessoas que querem encarar esse tipo de aventura. Lembra que sempre é importante conferir o clima e estação do ano antes de montar a "mala".  “Como boa cuiabana, nem blusa de frio eu tinha. Tive que comprar uma aqui na África do Sul e quando formos para Europa teremos que comprar roupa de frio melhores”, brinca. 

Arquivo pessoal

Juntos a mais de dois anos, casal viaja pelo mundo e realizam trabalhos para manter hospedagem e alimenta��o

Juntos a mais de dois anos, casal viaja pelo mundo e realizam trabalhos pra pagar aventuras 

Em outro momento, uma tensão, Renata teve o celular recém-comprado furtado. “Em Joanesburgo, fomos fazer um passeio noturno promovido pelo hostel, tínhamos que acompanhar os hospedes na visita de vários bares. Quando estávamos no segundo bar, tive meu celular furtado da minha bolsa”, comenta Jardini.

Alguns de seus amigos se mobilizaram no Brasil e a ajudaram comprar outro dispositivo.

Ao todo, foram três semanas recepcionando turistas de todas as partes do mundo na cidade. Em abril saíram do hostel e foram para o interior da África do Sul. A viagem, que estava estimada em 20 horas, durou 28 horas, pois o trem parava muito, até mesmo fora das estações, e eles a descrevem como “cansativa e gelada”, pois no inverno a temperatura chega a zero grau.

Nas folgas dos trabalhos também fizeram Safari no Parque Nacional de Addo que, além de ser um santuário de elefantes, tem vários outros animais como leões, rinocerontes, zebras, búfalos, kudus e javalis.

Segundo a jovem, a imersão passa a ser ainda mais completa quando o casal trabalha, dorme e se alimenta junto aos das terras que eles atravessam todos estes meses. 

Além disso, eles mencionam os conflitos políticos de cada país e os contextos sociais que vivem. “A experiência é vista de forma diferente por cada um, por termos passados os últimos 22 anos tendo cada um sua própria vida, até decidimos ter essa experiência juntos. Valeu a pena e o aprendizado, tem sido emocionante”, finaliza Renata. Veja galeria abaixo.

Galeria: Casal viaja o mundo prestando serviços

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

DEM e voz na Câmara após 16 anos

marcelo bussiki 400 curtinha   O DEM (antigo PFL) passa a ter voz na Câmara da Capital 16 anos depois. Aproveitando a janela de março em que a Justiça Eleitoral permite mudança de legenda sem risco de perda do mandato, dois vereadores migraram para o Democratas, sendo eles Marcelo Bussiki (foto) e Gilberto Figueiredo, que...

MDB agora com 2 na Câmara-Cuiabá

juca do guaran� curtinha 400   O MDB do prefeito Emanuel Pinheiro, que não elegeu vereador em 2016 em Cuiabá, agora ganha duas vozes na Câmara. Tratam-se de Juca do Guaraná (foto), militante histórico do nanico Avante que resolveu migrar para a legenda emedebista, e do recém-empossado...

PT segue sem voz na Câmara-Cuiabá

bob pt 400 curtinha   O PT, presidido em Cuiabá por  Elisvaldo Almeida, o Bob (foto), está mesmo "queimado" e sem prestígio. Em meio ao troca-troca de partido entre os vereadores cuiabanos, aproveitando a janela de março, cujo prazo para mudanças para quem deseja se candidatar em outubro encerrou-se neste...

Deputado, única causa e os interesses

xuxu 400 curtinha   Xuxu Dal Molin (foto), deputado pouco atuante e limitado a defender a bandeira do agronegócio, é mais um daqueles que demonstram, na prática, usar a política para beneficiar os seus. De familiares de agricultores, Xuxu bateu duro, se posicionando contra a proposta encaminhada pelo governador Mauro...

Vereadores de ROO e trocas de siglas

fabio cardozo 400 curtinha   Em Rondonópolis, praticamente a metade dos vereadores está aproveitando a janela, que se encerra neste sábado, para mudar de partido, e já com as atenções voltadas à reeleição. E, com a dança das cadeiras, o Solidariedade do prefeito Zé do...

Podemos absorve a turma do barulho

O Podemos conseguiu juntar no seu diretório em Cuiabá a turma do barulho. Dela fazem parte dois com mandatos cassados, Abílio Júnior, que perdeu a cadeira de vereador por quebra de decoro, e a senadora Selma Arruda, cassada por caixa 2 e abuso de poder econômico, mas que ainda continua no cargo. Selma impôs condições para seguir no partido. Chegou a negociar ida para o PSC. E ganhou a presidência municipal do Pode, forçando o...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.