MIMOSO E RONDON

Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2014, 08h:06 | Atualizado: 14/02/2014, 01h:22

No meio do Pantanal, Memorial está entregue ao abandono há 10 anos

Projeto no distrito de Mimoso do que deveria ser um edifício em homenagem ao mato-grossense e patrono das telecomunicações está com obras inacabadas e sofre com falta de manutenção


Enviada Especial a Mimoso

Em janeiro, período de chuvas no Pantanal, a vegetação é exuberante. Em meio a natureza, em Mimoso, distrito de Santo Antônio do Leverger (a 70 kms de Cuiabá), está erguido o Memorial Rondon. Em verdade, ali está apenas a parte estrutural do que deveria ser o edifício em homenagem ao patrono das comunicações e um dos mato-grossenses mais conhecidos no país. Estagnada, a obra não vê operários da construção há 8 anos. A última etapa se deu em 2006, no governo Blairo Maggi, quando foi colocado o assoalho da armação de ferro e que nem constava do projeto original.

Iara Rezende/Rdnews

memorial dados rdnews

O projeto de se construir o Memorial Rondon, no distrito de Mimoso, em Santo Antônio do Leverger, partiu do ex-governador Dante de Oliveira e estava orçado em R$ 3,8 milhões. Hoje, 10 anos depois e atravessando o terceiro governo, só existe uma armação metálica no meio do mato; comunidade se revolta com o descaso

A iniciativa do Memorial veio do então governador Dante de Oliveira (já falecido). O projeto foi dos arquitetos José Afonso Portocarrero e Paulo César Molina. Em 2002, Dante deixou o cargo e recursos federais foram repassados. O alicerce foi construído. Na gestão Maggi, em 2004, veio a reforma do assoalho. Foram gastos cerca de R$ 780 mil no total e desde então não há nenhuma movimentação. No ano passado, o governador Silval Barbosa pediu que o projeto do Memorial Rondon fosse incluído nas obras da Copa do Mundo e prometeu concluí-lo antes do seu mandato terminar. Restam 10 meses para o peemedebista deixar o comando administrativo do Estado.

A primeira impressão que se tem ao chegar no Memorial Rondon é que a ferrugem e a natureza estão reivindicando o seu lugar. Tanto no chão quanto nas vigas e na ponte que liga terra e construção é possível ver as manchas de cores amarronzadas que significam que o tempo passou e nenhuma manutenção foi feita. A água das chuvas ficou parada no piso, formando enormes poças e logo faz escorregar quem tenta passar por lá. Ao redor, o mato cresce misturado a um pouco de lixo. Em algumas áreas, as plantas chegam a “escalar” o monumento.

Como o Memorial Rondon não foi concluído, não há placas de identificação ou de informações. Nem ao menos dados sobre a obra para que as pessoas que vêm de outros locais saibam do que se trata a estrutura metálica no meio do Pantanal. As únicas palavras escritas por ali são pichações com nomes, declarações de amor, alguns palavrões e desenhos feitos a lápis e caneta nas colunas. Antes de ser retomado pelo governo, aquilo que está pronto precisa de manutenção e consertos, o que eleva ainda mais os custos. Se no projeto original consta orçamento de R$ 3,8 milhões para executá-lo, a tendência é que, ao final, não saia por menos de R$ 4,2 milhões.

Galeria de Fotos

Credito: Iara Rezende
Credito: Iara Rezende/Rdnews
Credito: Iara Rezende
Credito:
Credito: Iara Rezende/Rdnews
Credito: Iara Rezende
Credito: Iara Rezende
Credito: Iara Rezende/Rdnews
Credito: Iara Rezende/Rdnews

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Benildo fco Oliveira | Sexta-Feira, 10 de Outubro de 2014, 22h36
    2
    0

    RS 780.000.00 Por um assoalho! Quanta mutreta.

  • Sebastian | Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2014, 20h43
    1
    0

    Gostaria de corrigir a matéria, informando-os que Mimoso fica a cerca de 100 km da capital Cuiabá e não 70 como mencionado, a não ser que estejam fazendo a contagem a partir de Santo Antônio do Leverger.

  • João maldaner | Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2014, 20h07
    2
    0

    E só andar mais 5 km para se deparar com outra irresponsabilidade dessa e da adm passada de MT a ponte sobre o rio Mutum, a desculpa será qual. O ministério público onde anda você

Misal é reeleito para o 10º mandato

misael galv�o 400 curtinha   Após dois anos fora do comando do Shopping Popular, período em que respondeu pela presidência da Câmara da Capital, o ex-vereador Misael Galvão (foto) voltou à direção do empreendimento, que abriga 500 lojas. E, sob forte...

Oscarlino, Pros e "nocaute" em Gisela

oscarlino 400   Na queda-de-braço dentro do Pros por espaço político, o ex-sindicalista Oscarlino Alves (foto) nocauteou a ex-superintendente do Procon-MT, Gisela Simona. Ele foi um dos filiados que não aceitaram apoio a Abílio na disputa de segundo turno para prefeito de Cuiabá, se aliou ao projeto de...

Promotor recebe medalha do Exército

Mauro Zaque curtinha   O promotor de Justiça Mauro Zaque (foto) foi condecorado com a medalha do Exército Brasileiro na manhã desta segunda (19), no dia da instituição. A solenidade é considerada a segunda maior do Exército Brasileiro, foi reservada por conta da pandemia e contou com a...

Sema reabre os parques em Cuiabá

mauren lazzaretti sema 400   Fechados desde 1º de abril, em obediência às regras de decreto municipal, que suspendiam as atividades coletivas, os parques estaduais urbanos de Cuiabá reabrem nesta segunda (19) para utilização pelo público. Será possível acessar as tradicionais trilhas...

Pilha em Jayme pra disputar o Governo

jayme campos 400   Mesmo sabendo que Jayme Campos (foto) não entra em disputa onde percebe dificuldades para vencê-la e militando no mesmo partido de Mauro Mendes, o DEM, algumas lideranças políticas têm instigado o senador a se lançar ao governo estadual. Para tentar convencer Jayme, lançam...

Scheila assume APDM e cita projetos

scheila pedroso 400   Esposa do prefeito sinopense Roberto Dorner, Scheila Pedroso (foto), primeira-dama e secretária municipal de Assistência Social, passa a tocar, pelos próximos dois anos, a Associação para o Desenvolvimento Social dos Municípios de MT (APDM/MT). Ela promete juntar força com os...