MIMOSO E RONDON

Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2014, 08h:06 | Atualizado: 14/02/2014, 01h:22

No meio do Pantanal, Memorial está entregue ao abandono há 10 anos

Projeto no distrito de Mimoso do que deveria ser um edifício em homenagem ao mato-grossense e patrono das telecomunicações está com obras inacabadas e sofre com falta de manutenção


Enviada Especial a Mimoso

Em janeiro, período de chuvas no Pantanal, a vegetação é exuberante. Em meio a natureza, em Mimoso, distrito de Santo Antônio do Leverger (a 70 kms de Cuiabá), está erguido o Memorial Rondon. Em verdade, ali está apenas a parte estrutural do que deveria ser o edifício em homenagem ao patrono das comunicações e um dos mato-grossenses mais conhecidos no país. Estagnada, a obra não vê operários da construção há 8 anos. A última etapa se deu em 2006, no governo Blairo Maggi, quando foi colocado o assoalho da armação de ferro e que nem constava do projeto original.

Iara Rezende/Rdnews

memorial dados rdnews

O projeto de se construir o Memorial Rondon, no distrito de Mimoso, em Santo Antônio do Leverger, partiu do ex-governador Dante de Oliveira e estava orçado em R$ 3,8 milhões. Hoje, 10 anos depois e atravessando o terceiro governo, só existe uma armação metálica no meio do mato; comunidade se revolta com o descaso

A iniciativa do Memorial veio do então governador Dante de Oliveira (já falecido). O projeto foi dos arquitetos José Afonso Portocarrero e Paulo César Molina. Em 2002, Dante deixou o cargo e recursos federais foram repassados. O alicerce foi construído. Na gestão Maggi, em 2004, veio a reforma do assoalho. Foram gastos cerca de R$ 780 mil no total e desde então não há nenhuma movimentação. No ano passado, o governador Silval Barbosa pediu que o projeto do Memorial Rondon fosse incluído nas obras da Copa do Mundo e prometeu concluí-lo antes do seu mandato terminar. Restam 10 meses para o peemedebista deixar o comando administrativo do Estado.

A primeira impressão que se tem ao chegar no Memorial Rondon é que a ferrugem e a natureza estão reivindicando o seu lugar. Tanto no chão quanto nas vigas e na ponte que liga terra e construção é possível ver as manchas de cores amarronzadas que significam que o tempo passou e nenhuma manutenção foi feita. A água das chuvas ficou parada no piso, formando enormes poças e logo faz escorregar quem tenta passar por lá. Ao redor, o mato cresce misturado a um pouco de lixo. Em algumas áreas, as plantas chegam a “escalar” o monumento.

Como o Memorial Rondon não foi concluído, não há placas de identificação ou de informações. Nem ao menos dados sobre a obra para que as pessoas que vêm de outros locais saibam do que se trata a estrutura metálica no meio do Pantanal. As únicas palavras escritas por ali são pichações com nomes, declarações de amor, alguns palavrões e desenhos feitos a lápis e caneta nas colunas. Antes de ser retomado pelo governo, aquilo que está pronto precisa de manutenção e consertos, o que eleva ainda mais os custos. Se no projeto original consta orçamento de R$ 3,8 milhões para executá-lo, a tendência é que, ao final, não saia por menos de R$ 4,2 milhões.

Galeria de Fotos

Credito: Iara Rezende
Credito: Iara Rezende/Rdnews
Credito: Iara Rezende
Credito:
Credito: Iara Rezende/Rdnews
Credito: Iara Rezende
Credito: Iara Rezende
Credito: Iara Rezende/Rdnews
Credito: Iara Rezende/Rdnews

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Benildo fco Oliveira | Sexta-Feira, 10 de Outubro de 2014, 22h36
    2
    0

    RS 780.000.00 Por um assoalho! Quanta mutreta.

  • Sebastian | Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2014, 20h43
    1
    0

    Gostaria de corrigir a matéria, informando-os que Mimoso fica a cerca de 100 km da capital Cuiabá e não 70 como mencionado, a não ser que estejam fazendo a contagem a partir de Santo Antônio do Leverger.

  • João maldaner | Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2014, 20h07
    2
    0

    E só andar mais 5 km para se deparar com outra irresponsabilidade dessa e da adm passada de MT a ponte sobre o rio Mutum, a desculpa será qual. O ministério público onde anda você

Vander sufocado em Tangará da Serra

vander masson 400 curtinha   Se até há poucos dias tudo indicava para uma possível eleição de Vander Masson (foto) em Tangará da Serra, agora a situação ganha novos rumos e se complica para o tucano. O filho do ex-deputado Saturnino vem perdendo o controle do cenário. Nos últimos...

IFMT e novo laboratório pra testagem

deiver 400 curtinha   Numa iniciativa inédita, o Campus do IFMT Cuiabá - Bela Vista, sob o diretor-geral Deiver Alessandro Teixeira (foto), terá um novo laboratório a ser utilizado para análise sorológica da Covid-19, através da pesquisa de IgG e IgM. A obra, orçada em R$ 1 milhão,...

Comitê chama órgãos fiscalizadores

emanuel pinheiro 400 curtinha   Para colocar fim às críticas sobre suposta falta de transparência na aplicação dos recursos transferidos a Cuiabá pelo governo federal com vistas ao enfrentamento à pandemia, o prefeito Emanuel Pinheiro (foto) determinou que seu secretário de Saúde, Luiz...

PT sob risco de não eleger ninguém

marcos viana 400 curtinha   Mesmo tendo cabeça de chapa para prefeito, no caso o ex-juiz federal Julier Sebastião da Silva, o PT dificilmente elege um vereador em Cuiabá no pleito deste ano. A chapa de pré-candidatos proporcionais é fraquíssima. O "grande" nome do partido é da professora Edna...

Único da família Oliveira pra vereador

luluca 400 curtinha   Na queda-de-braço entre irmãos, venceu, por enquanto, Luiz Arthur Oliveira Ribeiro, o Luluca (foto), que será candidato a vereador pelo MDB em Cuiabá, carregando o espólio político da família Oliveira. Irmão de Luluca, o ex-vereador Leonardo Oliveira, que procurou e...

2 nomes do DEM avaliam desistência

ivan evangelista 400 curtinha   A chapa de pré-candidatos do DEM a vereador pela Capital corre risco de sofrer duas baixas consideráveis. Os ex-vereadores Ivan Evangelista (foto), que atuou na Câmara por 13 anos, e Leonardo Oliveira, por dois mandatos, podem vir a desistir do teste das urnas. Mas, por enqanto, ambos garantem...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.