COPA-2014

Terça-Feira, 23 de Junho de 2015, 10h:38 | Atualizado: 23/06/2015, 14h:45

Impasse leva Consórcio VLT a pedir prorrogação de prazo de conciliação

Mayke Toscano

TRILHOS-VLT

Enquanto isso, carros transitam na Feb entre os trilhos do VLT "abandonados"

Sem chegar a um acordo, o consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande quer a prorrogação do prazo de conciliação por 30 dias para que as negociações com o Governo Pedro Taques (PDT) tenha continuidade. 

O pedido foi feito junto à 1ª Vara Federal, pois o prazo dado inicialmente de 75 dias não foi suficiente para que as partes concluíssem a negociação.

O Executivo, por sua vez, por meio de nota, garante que a retomada da obra depende do cumprimento do contrato por parte do consórcio.  

O governo apresentou nessa segunda (23) documentos referentes ao que foi acordado em audiência de conciliação sobre a execução das obras do VLT, que estão suspensas por decisão judicial. 

Também em nota, o consórcio VLT pondera que apresentou, nos prazos fixados pela Justiça Federal, o cronograma de retomada e conclusão das obras, além do cronograma físico-financeiro. 

As empresas que formam o consórcio garantem ainda ter interesse em concluir as obras de implantação do modal de transporte. Porém, o governo questiona o cronograma apresentado pelo consórcio e o pedido de reajuste no valor da obra.  

O impasse está relacionado ao pedido de aumento de R$ 94,7 milhões feito pelas empresas. O valor seria referente ao reajustes nos preços de materiais e alterações no projeto. Relatório da Controladoria Geral do Estado (CGE) orienta Taques a não efetuar este pagamento, pois o consórcio descumpriu com parte do contrato que previa a execução da obra em três turnos para acelerar os trabalhos.  

A CGE alerta para possibilidade de o pagamento abrir precedente para aumentos sucessivos que podem elevar o valor da obra até R$ 1,8 bilhão. O fato é que o VLT foi a primeira obra licitada pelo Regime Diferenciado de Contratação (RDC) e não permite aditivos.  

O parecer técnico da CGE destaca que as empresas assumiram os riscos e havia feito levantamento dos pontos críticos da obra contratada por R$ 1,4 bilhão, ou seja, era de conhecimento a problemática e havia informações para formular a proposta de execução da obra. 

Outro relatório apresentado pela secretaria de Cidades elenca problemas a questionamentos que devem ser respondidos para dar andamento à obre, como a falta de projeto para definir a necessidade de desapropriação.  

Havia ficado sob a responsabilidade do Estado apresentar o cronograma de desapropriações à Justiça Federal. O relatório da Secid aponta ainda falhas na execução das obras, como os problemas de alagamento no viaduto da UFMT.  

A primeira audiência de conciliação ocorreu no dia 7 de abril e a obra ficou suspensa por determinação da juíza da 1ª Vara Federal, Vanessa Curti Perenha Gasques, que também acatou pedido do consórcio para suspender a cobrança de multa no valor de R$ 148 milhões, até conclusão das negociações.  

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Pedido para TSE definir data da eleição

sebastiao carlos 400 curtinha   Na última quarta (2), um dia após a Câmara aprovar a PEC que adia as eleições municipais para 15 de novembro, André de Albuquerque Teixeira, advogado de Sebastião Carlos, que concorreu ao Senado e um dos que denunciaram Selma Arruda por crimes eleitorais, já...

Uma das apostas do PP para vereador

alex rodrigues 400 curtinha   O PP já tem no rol de possíveis eleitos a vereador em Cuiabá o jovem Alex Rodrigues (foto), de 31 anos. Filho do empresário Valúcio Rodrigues e sobrinho do secretário de Obras Públicas da Capital, Wanderlúcio Rodrigues, Alex criou uma comunidade com mais de mil...

Prefeito, efeito pandemia e a reeleição

ze do patio 400 curtinha   Mesmo com o poderio da máquina, considerada preponderante para cooptar partidos e aliados por causa da oferta de cargos e do assistencialismo, o prefeito Zé do Pátio (foto), de Rondonópolis, terceira em população e segunda no ranking da economia estadual, terá muitos...

Servidores sem pagar os empréstimos

adevair cabral curtinha 400   A Câmara de Cuiabá rejeitou o veto total do prefeito Emanuel e promulgou a Lei 6.547, que suspende por 90 dias o pagamento de parcelas de contrato de crédito consignados tanto dos servidores públicos ativos e inativos da prefeitura quanto da própria Câmara Municipal. A...

Eleição ao Senado junto com municipal

carlos favaro 400 curtinha   A eleição suplementar para uma vaga ao Senado deve ocorrer em MT junto com o pleito municipal, em 15 de novembro. A definição oficial partirá do TSE até o final deste mês. Em princípio, a suplementar estava marcada para abril, mas, por causa da pandemia, foi...

Wellington tem 47 lotados no Senado

wellington 400 curtinha   Com dois meses e meio na cadeira de senador, Carlos Fávaro tem hoje 18 assessores lotados no gabinete, muito aquém do quadro dos colegas Jayme Campos e Wellington Fagundes. O chefe de gabinete de Fávaro é o advogado Irajá Rezende de Lacerda, filho do primeiro-suplente Zé Lacerda....

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.