Gastronomia

Sexta-Feira, 07 de Junho de 2019, 08h:16 | Atualizado: 09/06/2019, 07h:55

Casal larga vida no salão de beleza e faz sucesso vendendo brownies artesanais

Rodinei Crescêncio/Montagem

brownies_montagem

Produção de I Love Brownie é artesanal. Donos sonham com loja física

Uma receita simples de brownie mudou a vida do casal Camila Rodrigues, 34, e Raphael Ramos, 33, que mora em Várzea Grande. Ela trabalhava como maquiadora e ele era barbeiro. Eles foram incentivados por amigos a comercializar os quitutes que faziam em casa. Hoje, são proprietários da "I Love Brownie".

Camila e Raphael estão casados há 13 anos – ao todo, estão juntos há quase duas décadas. Em suas antigas profissões, eles costumavam trabalhar de quinta a sábado. "De segunda a quarta, ficávamos sem função, porque havia poucos atendimentos no salão", explica Raphael.

Os dois são pais de três filhos. Eles buscavam por uma alternativa para aumentar a renda em casa. "O brownie era uma das sobremesas que fazíamos para receber visitas. Sempre alguém comentava que deveríamos comercializá-los. Isso ficou na nossa cabeça", diz o comerciante.

O casal pesquisou sobre o modo como poderiam comercializar os quitutes. "Nas redes sociais, vi que o mercado de brownie é muito grande em cidades como São Paulo e Belo Horizonte", conta Raphael. Eles se inspiraram em modelos de outros estados, personalizaram uma bicicleta de carga e começaram a vender os brownies em uma "food bike".

Antes de vender os doces pelas ruas, decidiram aprimorar a receita que faziam para os amigos. "O brownie que fazíamos em casa era simples, com achocolatado. Quando decidimos criar a "I Love Brownie", queríamos oferecer algo de qualidade e com sabor intenso", diz Raphael. Depois de muitos testes, Camila desenvolveu a receita que considerou ideal para as vendas.

Em nove de janeiro de 2016, o casal participou de um bazar com a "food bike". Foi a primeira vez em que comercializaram os brownies. O quitute fez sucesso e Camila e Raphael passaram a receber diversas encomendas.

Buscamos criar um relacionamento com o cliente, oferecendo um atendimento acolhedor e um produto que vai além de bolo

Raphael Ramos

Nos primeiros meses da "I Love Brownie", o casal tentou conciliar o novo negócio com os trabalhos anteriores, mas logo decidiram se dedicar unicamente aos doces. "Os pedidos dos brownies e os eventos foram aumentando. Então, um negócio que era apenas uma renda complementar se tornou a nossa vida", comenta Raphael. Ele é o responsável pelas entregas, enquanto a esposa prepara os quitutes – eles cuidam juntos da parte administrativa.

A “I Love Brownie”

Os brownies do casal várzea-grandense começaram a ser divulgados informalmente pelas pessoas que haviam experimentado e gostado. Logo, Camila e Raphael criaram perfis nas redes sociais para anunciar os quitutes. Por meio de fotos e vídeos dos doces, a “I Love Brownie” ganhou ainda mais clientes e seguidores.

Divulgação

casal Camila Rodrigues, 34 anos, e Raphael Ramos,

Casal Camila e Raphael Ramos fala sobre paixão pelos brownies

“A rede social é o maior e melhor meio de divulgação. Lá mostramos os nossos bastidores fazendo a compra no mercado, a produção das nossas delícias e compartilhamos um pouco da nossa rotina diária. Conseguimos estar mais próximos do nosso público. Amamos o que fazemos”, diz Raphael.

O comerciante considera que a característica principal da “I Love” é o fato de que ele e a esposa fazem um produto de qualidade e se preocupam com um bom atendimento. "Buscamos criar um relacionamento com o cliente, oferecendo um atendimento acolhedor e um produto que vai além de bolo. É um doce para amar e apreciar", afirma.

Os quitutes são produzidos na residência do casal, em Várzea Grande. Além de Camila, um funcionário a ajuda no serviço. "Não dispomos de uma cozinha industrial. Toda nossa produção é 100% artesanal. Futuramente, sonhamos em ter uma loja física, para produzir e vender nossos brownies", completa.

Os bolos são vendidos por dellivery, em pedidos feitos por meio do WhatsApp (65) – as entregas são feitas por Raphael. Há também diversos pontos de venda dos brownies espalhados por Cuiabá e Várzea Grande, em estabelecimentos como restaurantes, salão de beleza, conveniência ou sorveteria.

Em Cuiabá, eles devem abrir um ponto de distribuição ainda neste mês, no bairro Jardim Cuiabá. “Será um local para que as pessoas possam retirar suas encomendas ou fazer os pedidos”, explica o comerciante. Também neste mês, planejam oferecer os quitutes por meio da plataforma Uber Eats.

Os brownies

Há três anos no mercado, Camila e Raphael oferecem diversos tipos de brownies – receitas que foram aprendendo com o passar do tempo. Eles comercializam os tradicionais, sem recheio, por R$ 6. Há os recheados, com brigadeiro, beijinho, doce de leite, ninho ou Nutella, a R$ 8.

Também têm os de colher de diferentes sabores: ninho e nutella, brigadeiro, creme alpino, entre outros. O de 220 gramas custa R$ 15, o de 300 gramas sai a R$ 18 e o de 350 grama custa R$ 25.

A dupla também vende um bolo de brownie, com cobertura e recheio conforme o gosto do cliente. O valor é a partir de R$ 45 e varia conforme o pedido.

Os diversos sabores e opções podem ser consultados por meio do Instagram @ilovebrowniecba.

Galeria de Fotos

Credito: Divulgação
Há "os de colher" nos sabores ninho, nutella, brigadeiro e creme alpino
Credito: Divulgação
Brownies são recheados com brigadeiro, beijinho, doce de leite, ninho ou Nutella
Credito: Divulgação
Casal vende de brownies tradicionais, recheados, de colher e na versão bolo
Credito: Divulgação
Doce é feito de forma artesanal
Credito: Divulgação
Casal usa as redes sociais para mostrar os bastidores da produção
Credito: Divulgação
Casal usa as redes sociais para mostrar os bastidores da produção

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Paulo | Sexta-Feira, 07 de Junho de 2019, 19h23
    6
    0

    Isso aí, tem que fazer aquilo que temos paixão mesmo, aliando trabalho com felicidade. Boa sorte ao casal.

Filho de Taborelli assume vaga em VG

Willy taborelli _ curtinha400   O pai coronel Taborelli está fora de combate, mas o filho Willy (PSC), suplente de vereador, vai assumir cadeira na Câmara de VG a partir de 2 de março. Vai atuar na vaga do correligionário Miguel Baracat, que se licencia para fazer tratamento de saúde. O filho do polêmico...

Sem acordo para ter apoio de Selma

otaviano pivetta 400 curtinha   O empresário e vice-governador Otaviano Pivetta, pré-candidato ao Senado, disse que, de fato, recebeu convite para se filiar ao Podemos, inclusive do deputado Medeiros, um de seus prováveis adversários nas urnas de abril, mas que segue firme no PDT. Destaca ser um admirador do senador...

Na expectativa para disputar Senado

nelson barbudo 400 curtinha   Se o TRE flexibilizar a data de filiação para quem quer concorrer ao Senado, na eleição suplementar de abril, a inflação de candidatos tende a ser ainda maior. Entrariam no páreo, além dos 10 que já se dizem pré-candidatos, o ex-governador Pedro...

Conflito armado entre Ulysses e Elizeu

ulysses moraes curtinha   Já está dando confusão no PSL/DC o acórdão feito entre os deputados estaduais Ulysses (foto) e Elizeu. O primeiro confidenciou a amigos que não pretende apoiar a possível candidatura de Elizeu ao Senado, na eleição suplementar, marcada para abril. A considerar...

Jornalistas lançam 1º Anuário Jurídico

antonielle_curtinhas   O site Ponto na Curva e o Animus Centro Empresarial lançam em maio o primeiro Anuário Jurídico de Mato Grosso. A publicação, que é inédita no Estado, é conduzida pelas jornalistas e advogadas Antonielle Costa (foto) e Débora Pinho. A ideia é dar destaque a...

Ao Senado e com apoio de Bolsonaro

jose medeiros 400 curtinha   Com o apoio garantido por Bolsonaro, José Medeiros dá um passo largo rumo ao Senado, já nesta fase de pré-campanha. Entusiasmado, ele marcou a convenção do Podemos para 12 de março. De um lado, o ex-senador e hoje federal entra no rol dos mais cotados por causa do peso do...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.