LEGADO DE PEDRO

Sexta-Feira, 16 de Maio de 2014, 07h:15 | Atualizado: 16/05/2014, 16h:45

Casaldáliga diz que principal arma são denúncias e cita novos conflitos


Enviada especial a São Félix do Araguaia

Prelazia

Pedro Casaldaliga - antigas

Casaldáliga registra denúncias e faz poemas. Para ele, divulgação é maior arma

A região de São Félix do Araguaia (a 1.115 km de Cuiabá) se tornou emblemática e polêmica, ao longo dos anos, graças à atuação firme do hoje bispo emérito da cidade Pedro Casaldáliga que desperta sentimentos antagônicos de amor e ódio entre os moradores. Enquanto índios, pequenos produtores e sem terras, buscam refúgio na liderança de Pedro e têm ele como um líder espiritual e um amigo, especialmente, os produtores rurais se posicionam duramente contra o bispo emérito da cidade. Argumentam que, para defender os índios, ele passa por cima de pessoas que querem apenas trabalhar e tirar o seu sustento da terra.

O resultado dessa situação é um intenso conflito que tem se estendido durante os últimos 46 anos, desde que o missionário claretiano, do Catalão e um dos fundadores da Teologia da Liberdade, chegou à região em 1968, durante a Ditadura Militar.

Perguntando o porque do Brasil e especialmente da região do Araguaia, que praticamente não era habitada na década de 60, Pedro Casaldáliga, em entrevista ao Rdnews, lembra que o Vaticano queria uma missão nesta área, que era nova, e não tinha comunidade. “Tomei como missão de vida”, enfatiza.

Passado quase meio século, o bispo avalia que a situação é melhor, especialmente por causa da organização dos índios e movimentos sociais. Por outro lado, pondera que a briga com a Bancada Ruralista é intensa. "Povos indígenas são inimigos do sistema porque não são do sistema produtivo", reforça. 

 

"Tudo o que acontecia se
escrevia, ficamos conhecidos
e a situação emblemática"

Ele lembra que a luta foi bastante intensa nos últimos anos. Cita que, dois anos após chegar na região e começar a acompanhar os índios juntamente com a irmã Genoveva, que chegou antes em 1952, foi nomeado bispo da Prelazia de São Félix do Araguaia. “Nós iniciamos aqui a Prelazia que é uma diocese do interior. Tivemos que enfrentar o desafio de escolher entre os índios, pequenos produtores  ou o latifúndio. Tivemos que optar e optamos pelos pobres, pelos marginalizados. Os índios, os posseiros e os peões”, sustenta Casaldáliga.

 O religioso lembra que escreveu dois documentos fundamentais neste processo de criação de um grupo organizado contra o sistema existente: Latifúndio e feudalismo no Norte de MT e Amazônia em Conflito e a Marginalização Social. No segundo, ele trazia duras denúncias sobre a existência de trabalho escravo. “Foi uma declaração de guerra, denunciamos também a polícia que perseguiu a gente”, lembra. Acontece que o país estava em plena ditadura, onde o lema era: integrar para não entregar, havendo políticas de povoamento no Estado. “Essa região virou paradigmática, emblemática. Naquela época foi fundado, por exemplo, o Conselho Nacional da Terra”.

Prelazia

mulher morta

Pedro conversa com uma das camponesas que foram mortas durante a ditadura

Durante este período, especialmente entre 1971 e 1976, Casaldáliga e seus seguidores tiveram duros embates com fazendeiros e com o sistema político brasileiro, sofrendo ameaças de morte e perseguições. Em 1976, por exemplo, é assassinado o padre João Bosco Burnier, quando ele e dom Pedro foram defender duas mulheres que estariam sendo torturadas na delegacia de Ribeirão Cascalheira.

Em meio à situação, o bispo avalia que a divulgação das situações por meio da imprensa brasileira e estrangeira foi fundamental para garantir que as ameaças de morte não fossem cumpridas e para garantir que a situação, caótica, não fosse ainda pior. “Tudo o que acontecia se escrevia, por isso, ficamos conhecidos e a situação era emblemática”, lembra.

Foi durante este período tumultuado também que foi instalado um ginásio no local, com o objetivo de dar educação aos moradores da região. À época, um grupo ligado a Prelazia ensinava à população o método Paulo Freire, o que não foi bem visto pelo Regime Militar que fechou a instituição. Outro fator que provocou a ocorrência de constantes conflitos era a especulação de que haviam guerrilheiros do Araguaia na cidade. Casaldáliga, entretanto, garante que isso nunca ocorreu.

A Guerrilha do Araguaia foi a tentativa de dissidentes do Partido Comunista do Brasil (PC do B) de organizar uma luta armada para enfrentar a ditadura militar que governava o Brasil, a maior parte dos membros era do Pará e Tocantis.

De todo modo, o fim da ditadura, não significou o final dos confrontos na área. Conflitos entre índios, posseiros e fazendeiros também foram acompanhados pelo bispo de perto. Um dos mais emblemáticos envolve a desintrusão da reserva indígena dos Xavantes na região da Suiá Missu, que foi realizada em dezembro de 2012.

.

Pedro Casaldaliga - antigas

Bispo Pedro Casaldáliga defende as causas indígenas há quase meio século

Embora o desfecho da situação tenha ocorrido recentemente, a  polêmica começou ainda em 1980, quando começam os questionamentos acerca da área que pertenceu a Agip Petroli e, depois, foi loteada e vendida para famílias que moravam no Posto da Mata.

Os produtores rurais que estão no local garantem que adquiriram a área de forma lícita e que ali nunca foi terra indígena. A FUNAI contesta e conseguiu, na Justiça, o direito de expulsar os posseiros. Casaldáliga é apontado como um dos responsáveis pela viabilização da desintrusão e chegou a ser ameaçado de morte à época da expulsão. 

Mesmo estando longe do comando da Prelazia há quase 10 anos, desde 2005, Pedro Casaldáliga ainda faz questão de acompanhar os movimentos, mesmo que seja apenas pelos relatos de índios e retirantes que o visitam em sua casa em São Félix do Araguaia. Em relação ao desfecho da Suiá Missu, ele avalia, por exemplo, que os índios estão felizes porque estão em suas terras, mas cobra maior investimento por parte da Funai.

Polêmica em torno de área começa na década de 60; dados controversos

 

cronologia casaldaliga

Vida de Pedro Casaldáliga foi marcada por muitos casos polêmicos, acima, veja algumas das datas mais importantes na vida do Bispo de São Félix do Araguaia

 

Galeria de Fotos

Credito: Casaldáliga visita Fidel Castro
Credito: Pedro Casaldáliga no rio Araguaia
Credito: .
Credito: .
Credito: Prelazia - Arquivo sobre o legado de Casaldáliga
Credito: Prelazia - Arquivo sobre o legado de Casaldáliga
Credito: Prelazia - Arquivo sobre o legado de Casaldáliga
Credito: Prelazia - Arquivo sobre o legado de Casaldáliga

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Kalixto guimarães | Segunda-Feira, 19 de Maio de 2014, 09h59
    1
    0

    Kalixto guimarães, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Antonio | Sexta-Feira, 16 de Maio de 2014, 11h33
    1
    0

    Excelente a matéria sobre Dom Pedro Casaldaglia. Parabéns Romilson e equipe

De fora da disputa em Rondonópolis

percival muniz 400   O pecuarista Percival Muniz (foto), hoje "mergulhado" nas duas fazendas na região do Xingu, adianta que não será candidato a prefeito de Rondonópolis, posto já ocupado por ele por três vezes. Mesmo com recall junto à população de bom gestor e popular, ele é...

Conselheira e o faturamento familiar

jaqueline jacobsen curtinha 400   Está repercutindo muito mal para a conselheira substituta do TCE-MT Jaqueline Jacobsen (foto) a notícia publicada pelo site O Livre, nesta sexta, de que a sua irmã, advogada Camila Jacobsen, em sociedade com Eveline Guerra, filha da conselheira, são sócias da "Jacobsen &...

Selma vê maior conforto no Podemos

selma curtinha 400   No grupo de WhatsApp "PSL Mulher MT", Selma Arruda (foto) escreveu um texto de despedida do partido. Disse estar chateada "com tudo isso", mas que não perdeu a fé e que o Governo Bolsonaro vai dar certo. Afirma sair do PSL com "coração partido" e que continua com os mesmos ideais no Podemos, onde...

Podemos esperando Selma se salvar

alvarodias_curtinhas   Na busca para ampliar a bancada do Podemos no Senado, o senador Alvaro Dias, derrotado à presidência no ano passado, só correu atrás de Selma, no sentido de convencê-la a se filiar no partido, depois que foi informado que ela tem chances reais de derrubar no TSE a cassação por...

Fávaro e esperança em assumir vaga

carlosfavaro_curtinha   O representante do escritório de MT em Brasília Carlos Fávaro (PSD) está convicto de que a senadora Selma não só será cassada de vez pelo TSE nos próximos meses, como a decisão da Corte lhe permitirá assumir a vaga enquanto não for eleito um novo...

Maturidade e nova visão sobre o TCE

janaina_riva_curtinha   No segundo mandato e sentindo-se mais madura politicamente, apesar de ainda bem jovem – completou 30 anos em 21 de janeiro – a deputada Janaína Riva revela que pensa diferente sobre a indicação de políticos ao cargo de conselheiro do TCE. Ao autorizar os colegas a derrubar a...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Mauro Mendes?

excelente

bom

regular

ruim

péssimo

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.