LEGADO DE PEDRO

Sexta-Feira, 16 de Maio de 2014, 07h:14 | Atualizado: 16/05/2014, 07h:35

Casaldáliga é protegido e punido por Vaticano; João Paulo II convoca líder


Enviada especial a São Félix do Araguaia

.

Pedro Casaldáliga e papa João Paulo II

João Paulo II e Pedro Casaldáliga conversam sobre atuação do bispo em MT

O bispo emérito de São Félix do Araguaia, Pedro Casadáliga não se tornou um ícone emblemático apenas por sua luta pelos índios, pequenos produtores e contra o trabalho escravo, mas também ficou conhecido mundialmente e provocou debates por causa de sua relação com a própria igreja Católica, que ora o protegeu, especialmente durante a ditadura e, ora o convocou a prestar esclarecimentos por causa de sua atuação.

Na década de 80, o papa João Paulo II, inclusive, chegou a tentar lhe aplicar a penalidade do silêncio obsequioso, proibição de falar em público e de publicar suas ideias. A punição se devia a atuação de Casaldáliga e a sua polêmica viagem a Nicarágua, quando criticou bispos dizendo que “eles não contestavam os crimes”. O bispo, entretanto, se recusou a assinar o documento e, assim, as sanções não ocorreram.

Anos antes, entretanto, a igreja, por meio da CNBB e do então papa Paulo VI, impediu que Casaldáliga fosse expulso do Brasil pelos militares que comandavam o país. Por quatro vezes o Regime Militar tentou extraditar o bispo Pedro do Brasil. Numa das vezes, a resposta do Vaticano foi muito clara:

“O papa (Paulo VI) disse que tocar em Pedro, era tocar em Paulo”, lembra o bispo emérito, em entrevista ao Rdnews, concedida em sua residência. Em seguida, Casaldáliga reforça que a “posição de Paulo VI era uma e de João Paulo II era diferente”.

.

Papa Paulo VI

Papa Paulo VI intercedeu em favor de Casaldáliga 

O religioso lembra que João Paulo II se preocupava com a politização da pastoral, temendo que fosse mais política do que religiosa. Acontece que Casaldáliga é defensor da Teologia da Libertação, movimento que se espalhou pela América Latina e que foi condenada pelo Vaticano, por identificar em seus postulados “princípios marxistas”.

Mas não eram apenas as posturas ideológicas de Casáldáliga que provocaram embates com o Vaticano. João Paulo II convocou o bispo a ir a Roma devido ao fato dele desrespeitar a orientação de que os bispos deveriam ir a cada 5 anos visitar o papa. “Achava sem sentido. Você não tinha a chance de se explicar. Só formalidade”, reclama o líder religioso.

Ainda conforme Casaldáliga, à época, ele escreveu uma carta a João Paulo II  dizendo que, "se o papa achasse que devia ir,  iria, mas para uma conversa", recorda. Chegando lá, foi interrogado pelo então cardeal Joseph Ratzinger que, depois, se tornou o papa Bento XVI. Depois, teve  diálogo com o papa João Paulo que pediu para que o então bispo do Araguaia mantivesse a unidade da Igreja.

papa francisco

Erwin Krautler, entrega relatório sobre conflitos agrários ao papa Francisco

Agora a igreja Católica vive novo momento de transformação e o papa Francisco defende algumas bandeiras relacionadas ao que Casáldáliga vem lutando, como o compromisso com os pobres.

O bispo do Araguaia lembra que, em abril, o presidente do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Erwin Krautler, entregou ao papa Francisco um documento com as graves violações do direitos indígenas no Brasil.  Conforme o relatório, 34 pessoas foram assassinadas em 2013 em conflitos agrários, 15 delas são indígenas.

O número é o maior já registrado pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), que desde 1985 divulga esse tipo de estatística. Na oportunidade, Kräutler disse que o papa Francisco “demonstrou atenção, preocupação e sensibilidade para com as questões levadas até ele pelo Cimi”.

Além disso, no ano passado, o próprio Pedro Casaldáliga fez um pedido ao novo papa por intermédio do Prêmio Nobel da Paz argentino, Adolfo Pérez Esquivel: “Que a Igreja se reconcilie com a Teologia da Libertação”. “Apresentei-lhe uma mensagem de Pedro Casaldáliga, que me disse: Você verá Francisco, diga para ele que procure escutar, refletir e chegar a um acordo, uma reconciliação com os teólogos latino-americanos. Que se preocupe com toda a questão dos povos originários no continente. Para mim, isso foi um sinal positivo”, afirmou Adolfo ao Religión Digital.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

"Pátio igual gato, comendo e miando"

jose medeiros 400 curtinha   O deputado José Medeiros (Podemos), vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara, disse que o prefeito Zé do Pátio, de Rondonópolis, está parecendo gato, comendo e miando, pois recebe recursos federais, inclusive de programas habitacionais e, mesmo assim, ainda alardeia nos...

Adair lançará ex-vice em Alto Paraguai

adair 400 curtinha   O ex-prefeito de Alto Paraguai, advogado emedebista Adair José Alves Moreira (foto), não vai disputar novamente, apesar da insistência do seu grupo. A tendência é de apoiar o seu ex-vice Luiz Figueiredo, com quem administrou a cidade de 2013 a 2016. Luiz também é do MDB e...

Deputado bolsonarista critica prefeito

claudinei deputado curtinha 400   O deputado Claudinei Lopes (foto), morador em Rondonópolis, ficou na bronca com o discurso populista do prefeito Zé do Pátio, para quem o povo nordestino votou em massa no PT e que não tem conseguido construir mais casas populares porque, diferente dos governos petistas, o presidente...

Sem Senado e tudo pela Mesa da AL

max russi curtinha 400   Presidente regional do PSB-MT, o deputado Max Russi (foto) tem participado das discussões para definição de candidaturas ao Senado, na suplementar de abril, mas não mais como pré-candidato. Seu desafio é outro. A prioridade é a busca da reeleição como...

Lúdio desiste e PT perde com Barranco

ludio cabral 400 curtinha   O deputado Lúdio Cabral (foto) estava se movimentando para tentar convencer o PT a lançá-lo ao Senado, por aclamação, e ainda instigar o diretório estadual a buscar recursos junto à Nacional para a campanha. Mas o tiro saiu pela culatra. O guru do partido no Estado,...

Carta de Abicalil cita traição de Lúdio

carlos abicalil 400 curtinha   Carlos Abicalil (foto), ex-federal e hoje assessor do deputado Valdir Barranco, demonstra até hoje estar "atravessado" com Lúdio Cabral por causa da traição política de 2010. Na época, mesmo o PT o tendo lançado ao Senado, Lúdio, ex-vereador por Cuiabá e...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.