Blog do Romilson Cuiabá, 28 de Fevereiro DE 2020 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

Retrospectiva

CPI do Paletó, criação do 13º salário e demissão em massa marcam ano da Câmara de Cuiabá

Por 31/12/2017, 09h:44 - Atualizado: 31/12/2017, 09h:46

selo_retrospectiva2017

Com renovação de 13 dos 25 veadores por Cuiabá, nas eleições de 2016, a Câmara trouxe o discurso de desvencilhar do nome de "Casa dos Horrores", como ficou conhecida por causa de diversos escândalos no passado. Termina, no entanto, sob desgaste por conta da demissão de funcionários em massa e aprovação de leis polêmicas, como o aumento do salário e a criação do 13º.

A primeira demonstração de união foi na eleição do presidente Justino Malheiros (PV), escolhido por unanimidade. O vereador era o preferido do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB). Ali estava desenhado o cenário perfeito para uma relação harmoniosa entre os Poderes Legislativo e Executivo.

Nos primeiros três meses, a relação com a prefeitura foi considerada “lua de mel”, como dizia o próprio Emanuel. Não havia como distinguir oposição e situação. Vereadores eleitos pela coligação adversária do então candidato a prefeito Wilson Santos (PSDB) começaram a aderir à base do prefeito, como os tucanos Adevair Cabral e Renivaldo Nascimento.

Gilberto Leite

camara cuiaba

Câmara de Cuiabá foi palco de projetos polêmicos este ano, como CPI contra prefeito

As primeiras divergências entre os Poderes surgiram em abril, quando o chefe do Executivo municipal iniciou uma reforma administrativa desmembrando a secretaria de Governo e Comunicação.

O presidente e membro da Comissão de Execução Orçamentária, Marcelo Bussiki (PSB) e Felipe Wellaton (PV), reclamaram do atropelo do Executivo acerca da aprovação da matéria, que foi aprovada sem parecer da Comissão nem conhecimento da proposta. Bussiki chegou a ingressar na Justiça para barrar o projeto. Iniciam os primeiros atritos entre vereadores e o prefeito.

Outro fator que começou a definir entre oposição e situação foi a criação da SEC 300, para cuidar dos projetos voltados aos 300 anos de Cuiabá. Gilberto Figueiredo (PSB), por exemplo, disse que era desnecessária a criação frente as demandas da saúde e educação.

Mas a gota d’agua foi em agosto, quando, em rede nacional, o então deputado estadual Emanuel Pinheiro apareceu em vídeo pegando maços de dinheiro no paletó. O conteúdo faz parte da delação do ex-governador Silval Barbosa que pagava “mensalinho” aos parlamentares para votarem de acordo com os interesses do governo. Emanuel nega qualquer irregularidade.

A partir das imagens, o clima na Câmara nunca mais foi o mesmo, dividindo situação e oposição. De um lado, vereadores defendiam a renúncia de Emanuel, assim como a criação de uma CPI para investigá-lo. De outro, parlamentares da base diziam que cabe às autoridades apurar as supostas irregularidades.

A primeira investida dos vereadores de oposição foi a tentativa de criar CPI. Entretanto, com assinaturas insuficientes o requerimento ficou engavetado.

Paralelo a isso, Wellaton, um dos mais críticos ao prefeito, decidiu barrar a suplementação R$ 6 milhões ao Legislativo sob argumento de que o repasse naquele período poderia colocar em xeque os vereadores, pois o repasse foi logo após parlamentares da base terem “barrado” a CPI.

Com a suspensão do valor pela Justiça, a consequência foi a demissão de 400 servidores comissionados. Aos poucos, a Câmara foi recontratando novos funcionários. Wellaton, por sua vez, foi acionado na Comissão de Ética por suposta quebra de decoro, que depois teve a denúncia arquivada.

Gilberto Leite

justino malheiros

Presidente do Legislativo, o vereador Justino Malheiros foi eleito por unanimidade

Com retorno da licença de Diego Guimarães (PP) e Toninho de Souza (PSD) rompido com o prefeito, os parlamentares oposicionistas conseguiramm as nove rubricas para a instalação. Assumindo a derrota e para ter maioria na CPI, os da base do prefeito manobraram e assinaram o requerimento.

A CPI do Paletó estava instalada. Situação e oposição iniciaram pé de guerra para ter maioria na Comissão. Em razão de ter maioria, a base ficou com a relatoria, sob Adevair Cabral (PSDB) e membro Mário Nadaf (PV). A presidência ficou com Bussiki, autor do requerimento.

Para o ano que vem, o andamento dos trabalhos da CPI deverá ser o termômetro da Câmara. A Comissão ouvirá, por exemplo, Silval e o ex-chefe de Gabinete Silvio Correa, em fevereiro.

Corda no pescoço

Quatro vereadores estão na "berlinda" acerca dos mandatos, sendo eles Abilio Junior, Sargento Joelson (ambos do PSC), Marcrean Santos (PRTB) e Elizeu Nascimento (PSDC). A Justiça Eleitoral, em decisão de primeiro grau, cassou os mandados dos parlamentares sob argumento que os partidos utilizaram candidaturas fictícias para preencher cota de gênero. Ainda cabe recurso da decisão.

13º salário

O último ato dos vereadores foi a criação do 13º salário para eles e servidores. Ainda vão pagar para ambos uma revisão geral anual de 6%, o que corresponde um aumento de cerca de R$ 900 aos vereadores, passando a ganhar assim R$ 15,9 mil. O décimo passa a vigorar em 2018.

A Lei Orçamentária Anual de 2018 (LOA) terá um acréscimo aprovado de cerca de R$ 10 milhões no repasse, chegando a R$ 52 milhões.

Postar um novo comentário

EFEITO-SENADO

Leitão terá Doria de cabo eleitoral e tenta arrumar emprego pra Taques

Por 27/02/2020, 22h:22 - Atualizado: 07h atrás

joao doria 680

Nilson Leitão acionou alguns líderes nacionais do PSDB para reforçar sua pré-candidatura ao Senado e barrar a intenção de Pedro Taques de cruzar seu caminho.

Postar um novo comentário

TEMOR GERAL

Em Alto Taquari, um monitorado e milhares preocupados

Por 27/02/2020, 20h:49 - Atualizado: 08h atrás

alto taquari 680

Cravada na divisa de MT com Goiás, a pequena Alto Taquari vê parte de seus cerca de 12 mil moradores mudarem a rotina por causa do monitoramento de um de seus filhos, que pode estar com coronavírus.

Postar um novo comentário

SOB INVESTIGAÇÃO

Enquanto PSDB esperava Taques em ato, ele estava depondo no MPE

Por 27/02/2020, 18h:50 - Atualizado: 27/02/2020, 19h:20

pedro taques 680

Pedro Taques tem muitas coisas para se preocupar do que a pré-candidatura ao Senado e seu futuro com ou sem o PSDB.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Davi | Quinta-Feira, 27 de Fevereiro de 2020, 22h01
    4
    1

    O Pedro Taques de hoje é o Mauro Mendes daqui 2 anos - persona nom grata.

  • joao | Quinta-Feira, 27 de Fevereiro de 2020, 19h13
    3
    4

    Parabéns PSDB pela decisão.

PETISMO RACHADO

Lúdio busca assinaturas para bater chapa com Barranco ao Senado

Por 27/02/2020, 18h:32 - Atualizado: 27/02/2020, 18h:32

ludio cabral 680

Lúdio Cabral espalhou nos últimos dias que não tinha pretensão de concorrer ao Senado, mas destacou assessores e vários correligionários para o trabalho de coleta de assinaturas, com vistas a se inscrever amanhã.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Kleber Amorim | Quinta-Feira, 27 de Fevereiro de 2020, 22h03
    4
    1

    Caro Romilson, não sei quem é tua fonte, mas infelizmente mais uma vez ela está equivocada. Lúdio em nenhum momento se colocou à frente para essa disputa. Ao contrário disso, várias tendências/coletivos do interior do Partido, assim como vários setores da sociedade, sindicatos, categorias, é, até mesmo outros líderes e partidos de centro e de esquerda entendem que o nome que reúne as melhores condições, neste momento, para enfrentar essa disputa com a direita conservadora, é o nome do companheiro Ludio. Portanto, não é o deputado que designou ninguém, nós nos achamos no direito, enquanto cidadãos e filiados, de propor o melhor nome para esse embate de características de disputa nacional. "O melhor candidato deve ser escolhido pela sua base, e não o contrário". A partir daí cabe à cúpula do Partido decidir o que realmente quer pra si, para seu futuro e da classe trabalhadora do estado. Grande abraço!

Após falta de luz, ausência de Taques vira piada: "cortou os fios"

Por 27/02/2020, 16h:00 - Atualizado: 27/02/2020, 19h:21

Andhressa Barboza

cupula_psdb_680

A ausência do ex-governador Pedro Taques no evento, que marcou o lançamento de Nilson Leitão como pré-candidato ao Senado, gerou até piada interna.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • José Roberto | Quinta-Feira, 27 de Fevereiro de 2020, 18h01
    1
    6

    TA AI UM REPRESENTATIVIDADE QUE O NORTÃO PRECISA

Efeito-Senado

Com Fávaro, outros desembarques do PSD do Governo Mauro

Por 27/02/2020, 14h:35 - Atualizado: 27/02/2020, 16h:45

Alair Ribeiro

carlos favaro 680

Além de Carlos Fávaro, os principais indicados do PSD devem deixar o Governo Mauro Mendes.

Postar um novo comentário

INíCIO
ANTERIOR
1 de 2499