Blog do Romilson Cuiabá, 20 de Abril DE 2021 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

9 operações marcaram 2016; empresários, políticos e ex-secretários atrás das grades

Por 29/12/2016, 14h:53 - Atualizado: 31/12/2016, 09h:16

selo_retrospectiva2016

O ano de 2016 foi marcado por várias operações policiais que atingiram tanto a Gestão Silval Barbosa (PMDB) quanto a de Pedro Taques (PSDB). Durante as ações, “figurões” políticos e empresariais foram parar na cadeia. Dando sequência às investigações da Operação Sodoma 1, deflagrada em setembro de 2015, que resultou na prisão de Silval e dos ex-secretários da Casa Civil Pedro Nadaf (em liberdade) e da Fazenda Marcel de Cursi, ao menos nove operações trouxeram à tona novos casos de corrupção no Estado.

Em 1º de fevereiro deste ano, o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) deflagrou a Operação Seven, que resultou na segunda prisão de Silval e de Nadaf. Na ocasião, também foram presos o ex-presidente do Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat) Afonso Dalberto (prisão domiciliar) e o ex-secretário-adjunto de Administração José de Jesus Cordeiro (em liberdade). Ao médico Filinto Corrêa da Costa, proprietário da área negociada com o Estado, foi imposto o uso da tornozeleira eletrônica.

A investigação apontou que o procurador aposentado Chico Lima teria recebido R$ 7 milhões, em 2014, pela venda de parte de uma área que já havia sido adquirida pelo governo. Um decreto, assinado por Silval, teria originado a suposta fraude. Ao todo, nove foram denunciados.

Reprodução

montagem_politicos_presos.jpg

Ex-governador Silval Barbosa, ex-secretários Pedro Nadaf, Permínio Pinto e empresário Alan Malouf

Em 11 de março foi deflagrada a Operação Sodoma 2, que apura a aquisição de um terreno por R$ 13 milhões, localizado na avenida Beira Rio, em Cuiabá. A compra teria sido feita com parte dos cheques repassados como pagamento de propina do empresário João Batista Rosa, delator da Sodoma 1, que apurou fraudes na concessão de incentivos fiscais no Estado.

Nesta fase da operação também foram presos Nadaf, o ex-secretário de Administração e do MT-PAR César Zílio (em liberdade), Marcel de Cursi, a ex-conselheira fiscal do MT Fomento Karla Cecília (solta com tornozeleira) e do proprietário da Consignum Willians Paulo Mischur (solto), que fez acordo de delação premiada e citou a participação de Silval e do ex-chefe de gabinete Sílvio Correa, além de Pedro Elias ex-secretário de Administração, no esquema.

Em 15 de março, o ex-governador conseguiu a liberdade referente à prisão da Sodoma 1. Contudo, no dia 22 do mesmo mês, foi deflagrada a Sodoma 3, que resultou em mais uma prisão de Silval, bem como as de Pedro Elias e Silvio Correa.

Depois disso, Pedro Elias firmou um acordo de colaboração premiada com o MPE e citou a suposta participação do filho do ex-governador, Rodrigo Barbosa, no esquema. Com isso, Rodrigo foi preso em 25 de abril, em um desdobramento da Sodoma 3, e solto em 1º de junho após pagar fiança de R$ 528 mil. Um dia depois de Silval ser preso na Sodoma 3, o ex-governador recebeu a liberdade na Seven.

Apontado como líder de 3 esquemas, Silval completa hoje 1 ano de prisão

Em 26 de setembro, a Defaz lançou a Sodoma 4, e mais uma vez Silval recebeu ordem de prisão. Também tiveram a prisão decretada Marcel de Cursi, Arnaldo Alves, Silvio Correia Araújo e Valdir Piran (solto). Chico Lima foi preso por mandado preventivo no Rio de Janeiro, por policiais da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). Esta etapa apura o suposto desvio de dinheiro realizado por meio de três desapropriações milionárias pagas pelo ex-governador, em 2014.

Nessa ocasião, foram conduzidos coercitivamente Valdir Piran Junior, Eronir Alexandre, Marcelo Malouf, José Mikael Malouf, Willian Soares Teixeira, além do cumprimento de buscas e apreensão em residências e empresas dos investigados. Nesse período, o Buffet Leila Malouf foi alvo de busca e apreensão.

Rêmora

A primeira fase da Rêmora, que apura um esquema de fraude na competitividade em licitações da secretaria estadual de Educação, foi deflagrada em 3 de maio. À época, foram cumpridos 39 mandados entre busca e apreensão, coercitiva e prisão, sendo que entre os presos estavam os servidores da Seduc Fábio Frigeri, Wander Luiz dos Reis e Moisés Dias da Silva, além do empresário Giovani Belatto Guizardi, todos já em liberdade. O ex-governador Moisés Feltrin e Joel de Barros Fagundes Filho foram presos por porte ilegal de arma e obtiveram a soltura.

Em 24 de maio, foi recebida a denúncia do Gaeco contra 22 pessoas, entre servidores e empresários, pelos crimes de constituição de organização criminosa, formação de cartel, corrupção passiva e fraude a licitação.

Permínio foi preso na segunda fase da Rêmora, denominada Locus Delicti, deflagrada em 20 de julho e naquele mesmo mês passou a constar no rol de denunciados, assim como Juliano Jorge Haddad, por meio de um aditivo da denúncia.

No último dia 14, foi decretada a prisão preventiva do empresário Alan Malouf, dono do buffet Leila Malouf, na 3ª fase da Operação Rêmora, denominada "Grão Vizir". Alan foi citado na delação premiada do empresário Giovani como financiador do suposto caixa 2 da campanha do governador Pedro Taques (PSDB), em 2014. O empresário teria tentado recuperar o dinheiro com fraudes na secretaria.

Mário Okamura

quadro_opera_.jpg

A Polícia Civil e o Gaeco desencadearam operações no ano que resultaram em prisões significativas

Um dia depois, em audiência na 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Permínio admitiu que as denúncias contra são parcialmente verdadeiras. Disse que seu único erro foi ser omisso. “E aí veio meu grande erro, meu grande pecado, que foi a omissão. Eu permiti que eles fizessem o que fizeram. Permiti que iniciassem esse trabalho de contato. Mas chamei a atenção deles para que tivéssemos cuidado, não permitira que houvesse sobrepreço”.

Quatro dias depois, a juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá Selma Arruda determinou a substituição da pena do ex-secretário de regime fechado para domiciliar com uso de tornozeleira.

Panacéia

O Gaeco deflagrou em 27 de outubro a Operação Panaceia, em parceria com a 1º Promotoria de Justiça Cível de Chapada dos Guimarães. O objetivo da ação foi desmantelar um esquema de possível fraude em licitação para compra de medicamentos, sem notas fiscais, para abastecer a rede pública. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na sede da secretaria municipal de Saúde, na prefeitura, em um hospital, nos postos de saúde da zona urbana e rural e na sede da empresa Adilvan Comércio e Distribuição LTDA, na Capital.

Depoimentos bomba

Um mês antes da Sodoma 1 completar um ano, em 15 de agosto, Pedro Nadaf confessou a participação no esquema. Em audiência na 7ª Vara Criminal, o ex-secretário pediu desculpas à população mato-grossense pelos “erros graves que prejudicaram muitas pessoas”. Nadaf admitiu ter participado de uma organização criminosa composta por ele, o também ex-secretário estaudal Marcel de Cursi, a ex-funcionária da Fecomércio, Karla Cecília de Oliveira Cintra, e o procurador aposentado Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, conhecido como Chico Lima.

Nadaf confirma esquemas para pagar campanhas e coloca Silval como "chefe"

Outro que adotou a linha da confissão foi José Riva. Em 15 de abril deste ano, ele fez graves revelações contra vários deputados estaduais ao confessar ter indicado contas para depósito da propina cobrada para liberar o pagamento R$ 9,4 milhões, referente à dívida que a Assembleia tinha com o banco HSBC. “Estou extremamente arrependido”, disse à época.

Delações

O empresário Giovani Belatto Guizardi firmou acordo de delação premiada com o MPE e deu detalhes do esquema de fraudes de licitações da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), no qual ele é apontado como um dos líderes. Às autoridades, ele relatou que o esquema tinha um núcleo político que era integrado pelo deputado estadual Nilson Leitão (PSDB), que também refutou a acusação.

Postar um novo comentário

INFIDELIDADE PARTIDÁRIA

Pra se salvar, Cattani cita BO, arrola 6 testemunhas e quer ação extinta

Por 19/04/2021, 18h:48 - Atualizado: 07h atrás

gilberto cattani 680

Em sua contestação ao pedido de cassação do mandato por infidelidade partidária, o recém-empossado deputado Gilberto Cattani alega que o suplente Emilio Populo, que pleiteia a cadeira, ajuizou ação antes do prazo estabelecido, o que contraria a norma eleitoral.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Jorge | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021, 19h32
    4
    0

    Vou torcer para ele se candidatar.vamos livrar desse q só nós faz vergonha. Quero também q o barbudo tente se reeleger, terrenos dois a menos. Foi o que aconteceu com o deputado do mikei graças a Deus

RUMO AO SENADO

Só apoio de Bolsonaro não elege Medeiros

Por 19/04/2021, 14h:20 - Atualizado: 19/04/2021, 14h:22

jos� medeiros 680

Num Estado em que a principal engrenagem que puxa a economia é o agronegócio, apenas o apoio político de Bolsonaro não será suficiente para eleger José Medeiros senador nas urnas do próximo ano, mesmo com boa parte do eleitorado considerado conservador e inclinado às ideologias de direita.

Postar um novo comentário

Comentários (12)

  • SEBASTIÃO BENILDO RCOHA | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021, 20h30
    6
    2

    Não é todo dia que acefalia substitui cerebro pensante e estrutura. fALA BOBAGEM DEMAIS, NÃO TEM PROJETO NEM PROPOSTA PRA SOCIEDADE. BABA OVO NÃO CRIA IMGAGEM PROPRIA.

  • Citizenship | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021, 19h48
    3
    1

    A regra de proibição de coligações partidárias em eleições parlamentares produz efeitos interessantes. Deputado federal de um partido pequeno parece vislumbrar um cenário de não reeleição e então discute uma candidatura majoritária, a senador. Será que este é o motivo?

  • Moisés | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021, 19h16
    1
    7

    Sempre desmerecendo o deputado federal José Medeiros, medem ele pelo que ele tem financeiramente e não pelo que ele é. Erraram feio quando ele saiu candidato a deputado federal, falavam que ele não se elegeria, se fosse eleito seria porque seria puxado e, Medeiros foi eleito e segundo mais votado no estado, Medeiros tem serviço prestado ao estado de Mato Grosso e aos municípios e não se misturou a grupos de políticos que tem práticas não republicanas! Medeiros tem todas credenciais para disputar o cargo de senador ou governador em 2022 sim!

RUMO À ASSEMBLEIA

Principais pré-candidatos a deputado pelo Araguaia saiba

Por 19/04/2021, 07h:19 - Atualizado: 19/04/2021, 09h:07

baiano filho 680

A região do Araguaia, com 35 municípios e cerca de 300 mil eleitores e que hoje só tem um representante entre 24 deputados, o médico Eugênio de Paiva, de Água Boa, já contabiliza ao menos 15 pretensos candidatos à Assembleia.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Regina Mendes | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021, 13h24
    1
    0

    O Engenheiro Nakamoto vai ter muitos apoios nesta região, mesmo sendo de outra!

  • Gonçalves | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021, 11h35
    1
    10

    Eu sou de São Félix do Araguaia e faço política em Luciara, Santa Terezinha, Vila Rica e outros Município e esses nomes são fracos e com pouca chance de serem eleitos, por isso o Grupo do DEM prefere votar no ex Governador Júlio Campos que será Deputado Estadual e será eleito e não em alguém que não tem chance de ganhar. Nos vamos de Júlio 2525.

  • Araguaia | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021, 09h11
    10
    0

    Nenhum merece ser eleito são todos farinha do mesmo saco, sou do araguaia digo e afirmo que todos os deputados que sairá da região envergonhou nossa gente, se pensarmos bem não devemos eleger ninguém dessa turma. Eles São eleitos para representar o governo e não o povo.

REPASSES FEDERAIS

Bolsonaro cita verbas "robustas" para MT; senador pede informações

Por 18/04/2021, 14h:39 - Atualizado: 18/04/2021, 14h:39

jair bolsonaro 680

O Governo Bolsonaro, que ainda não abriu o orçamento deste ano, tem feito propaganda de números robustos de repasses em 2020 para Mato Grosso.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Pedrão | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021, 16h58
    2
    0

    É impressionante que expressiva parcela de evangélicos esteja "fechada com bolsonaro". Como acendem uma vela a Deus e outra ao diabo? O cabra já deu mostras, inúmeras vezes, de que não veio pra compor, mas para segregar. Só governa (sic) para sua base, e suas políticas principais são voltadas para a extinção das minorias - e de todos a quem elegeu como inimigos. Como o crente "é de Deus" e apoia um troço desses??

  • Jorge | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021, 11h07
    2
    0

    Diva, ignorância também tem limites. Lembrando que, segundo o teu mito, você nasceu de uma fraquejada. Não é que ele tem razão? Pelo teu comentário, você está com capim no lugar do cérebro.

  • rico | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021, 10h08
    5
    1

    Aqui na VG o dinheiro foi gasto nas pracinhas, na Orla do Porto , Parque Berneck e eleição

ASSISTÊNCIA SOCIAL

Cáceres gasta quase R$ 500 mil na compra de 5.460 cestas básicas

Por 18/04/2021, 07h:58 - Atualizado: 18/04/2021, 08h:03

fabiola campos caceres 680

A prefeitura de Cáceres, sob Eliene Liberato, vai comprar 5.460 cestas básicas para distribuir gratuitamente a famílias em vulnerabilidade socioeconômica neste período de pandemia.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Pedrão | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021, 17h29
    0
    0

    Ô dona Sônia Campos, não fossem as (poucas) políticas adotadas pelo prefeito anterior, teríamos um número de mortos muito mais assustador. As parcas medidas restritivas atrapalharam os negócios, mas pouparam vidas. A economia só vai reagir após a vacina, coisa que o seu presidente ainda não aceitou.

  • Sandra Furlan | Domingo, 18 de Abril de 2021, 19h40
    2
    0

    Qual é a estratégia do ser,ou melhor ,qual foi a estratégia no início da pandemia,acorda povo.

  • Victor | Domingo, 18 de Abril de 2021, 18h12
    4
    1

    Se não fosse a PM e o Rotary com suas ações sociais a população estaria passando fome.

MODAL DE TRANSPORTE

A luta ignorada de Vuolo pra ressuscitar VLT

Por 17/04/2021, 14h:07 - Atualizado: 17/04/2021, 14h:09

vicente vuolo 680

Mesmo com a decisão oficial do governador Mauro Mendes de enterrar de vez a ideia de retomar as obras do VLT e, sim, de implantar o BRT na Região Metropolitana, o servidor do Senado, Vicente Vuolo, segue na luta incansável, desgastante e isolada de ressuscitar o tal metrô de superfície.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Hernan Escudero | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021, 09h51
    1
    0

    Discordo q esteja sendo ignorado!, pois muitos de nos cuiabanos e varzeagrandenses! Estamos tda aguardando o posicionamento do MpF e a da Justica federal

  • Hernan Escudero | Domingo, 18 de Abril de 2021, 20h59
    1
    0

    Discordo q esteja sendo ignorado!, pois muitos de nos cuiabanos e varzeagrandenses! Estamos tda aguardando o posicionamento do MpF e a da Justica federal

  • João Vicente Latorraca | Domingo, 18 de Abril de 2021, 16h16
    1
    1

    A decisão do governador não teve e nunca terá respaldo técnico. Se tivesse, a viabilidade do VLT estaria estampada. Ele sabe disso. Isso é fortemente sustentado pelo fato dele correr do debate. Assume uma postura autoritária para tentar provar a eficácia de suas decisões. Não é difícil imaginar os motivos para ele querer o BRT. Tirem suas conclusões. Parabéns Vicente, sua luta não será em vão. Força 💪

INíCIO
ANTERIOR
1 de 2695